quinta-feira, 30 de outubro de 2008

FEIRA DO LIVRO 2008 - PRÊMIO FATO LITERÁRIO "!"

Disponível em: <http://www.clicrbs.com.br/fatoliterario/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&template=4262.dwt&mnit=4>. Acesso em: 30 out. 2008.

Nós também podemos participar votando!
Finalistas – Prêmio Fato Literário 2008:

Luís Augusto Fischer
Professor de Literatura na UFRGS, Luís Augusto Fischer tem atuação destacada no cenário cultural do Estado, orientando trabalhos acadêmicos, proferindo palestras e integrando o time de apresentadores do Sarau Elétrico há nove anos. Saiba mais

Vitor Ramil
Cantor, compositor e escritor, Vitor Ramil lançou recentemente o romance Satolep (Cosac Naify), depois do sucesso do disco Satolep Sambatown, de 2007. Saiba mais

Zilá Bernd
Professora e orientadora do programa de Pós-Graduação de Letras da UFRGS, Zilá Bernd realizou pós-doutorado na Université de Montreal (Canadá). Saiba mais

Adote um Escritor - Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre e Câmara do Livro
O programa tem por objetivo adquirir obras literárias de escritores e/ou ilustradores do Rio Grande do Sul e do Brasil. Saiba mais

Centro de Estudos de Literatura e Psicanálise Cyro Martins
Fundado em 1997 pela filha do escritor e psicanalista, Maria Helena Martins, familiares e amigos, o Centro de Estudos foi criado para divulgar a obra de Cyro Martins. Saiba mais

Liberdade pela Escrita, da Penitenciária Feminina Madre Pelletier - UniRitter
Promovido pela UniRitter, o projeto incentiva a leitura e a escrita e desenvolve encontros semanais com detentas que vivem com filhos de até três anos, na Penitenciária Feminina Madre Pelletier. Saiba mais

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

ENCICLOPÉDIA BARSA - DOAÇÃO DA COMUNIDADE

Recebemos, no mês de setembro, esta doação (em excelente estado) de uma professora, moradora de um bairro próximo à nossa Escola. O contato foi feito pela professora Sônia de Negri, da ETS (curso de Nutrição e Dietética), a quem também agradecemos.

Obrigada, professora Edite Didone, por nos doar a Barsa e vários livros de Biologia!
TODAS AS OBRAS A SEGUIR ESTÃO À DISPOSIÇÃO DA COMUNIDADE PARA CONSULTA LOCAL NA BIBLIOTECA DA ETS:

*LIVRO do Ano: Ciência e Futuro 2000. São Paulo: Britannica, 2000. 320 p.
*LIVRO do Ano: Ciência e Futuro 2001. São Paulo: Barsa Planeta Internacional, 2001. 318 p.
*NOVA Enciclopédia Barsa. Rio de Janeiro: Britannica, 1997. 14 v.
*NOVA Enciclopédia Barsa: Datapédia e Atlas. Rio de janeiro: Britannica, 1997. 391, 128 p.
*NOVA Enciclopédia Barsa: Macropédia e Índice. Rio de Janeiro: Britannica, 1997. 2 v.

I JORNADA DE RADIOLOGIA DO HCPA

LOCAL: Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) - Anfiteatro Carlos César de Albuquerque;
ENDEREÇO: Ramiro Barcelos, 2350;
FONE: (51)2101-8090; FAX: (51) 2101-8503;
DATA: 1º de novembro de 2008;
HORÁRIO: 8h às 16h;
TAXA DE INSCRIÇÃO: R$ 15,00;
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.hcpa.ufrgs.br/;
VAGAS LIMITADAS.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

DICA 1 - ALTERNATIVA PARA ENCONTRAR INFORMAÇÃO


Esta é uma "dica" de Primavera, em homenagem a esta estação do ano tão florida e colorida... Agora, falando sério: para encontrares informações pertinentes, mais de acordo com o que tu queres, seja para uma pesquisa solicitada pelo(a) professor(a) ou para o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), uma boa alternativa é entrar direto nos "sites" das publicações periódicas (e são muitas, dos mais variados assuntos). Aqui está a "receita do bolo":

1 Colocar (no Google, por exemplo), o nome da revista mais adequado ao assunto (se a pesquisa é sobre "células tronco", podes encontrar em várias publicações: Veja, Radis, Época, Carta Capital, Isto É, Super Interessante e também em jornais, como Zero Hora, O Sul, Folha de São Paulo, O Globo, etc.);
2 Ao abrir a página inicial do site, procurar a janelinha (/desenho de uma lupa/buscar/assunto) e digitar ali a palavra-chave ou expressão que melhor retrata o assunto que estás procurando. Clicar em buscar/entrar/pesquisar;
3 Vais encontrar todos os artigos publicados por aquela revista, que tratam do assunto solicitado. Aí, é só ver se temos o exemplar disponível na Biblioteca da ETS ou podes ler/imprimir o que te interessa em casa ...
4 "Dica" final: em qualquer site de revistas da editora Abril, vais encontrar uma janelinha lá em cima. Se colocares teu assunto ali, a busca será ampliada automaticamente para todas as publicações da Abril. Assim, podes recuperar até o que foi publicado sobre "células tronco" na Revista Nova...
VANTAGEM DESTE TIPO DE BUSCA: os assuntos recuperados são realmente pertinentes, bem mais específicos do que os buscadores (Google, Terra, Pop, Yahoo!, etc.) BOA SORTE!
Me conta se deu certo...

AQUI ESTÃO ALGUMAS DAS REVISTAS DISPONÍVEIS NA BIBLIOTECA DA ETS:

VEJA;


RADIS;


ÉPOCA;


SAÚDE É VITAL;


CARTA NA ESCOLA;


SUPER INTERESSANTE;


NATIONAL GEOGRAPHIC;


AVENTURAS NA HISTÓRIA.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

VIDAS SECAS / GRACILIANO RAMOS - 70 ANOS

Foto de Graciliano Ramos: <http://www.klickescritores.com.br/imortais.htm>. Acesso em: 23/10/2008.

"A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra foi feita para dizer." (Graciliano Ramos).
RAMOS, Graciliano. Vidas Secas. 104.ed. Rio de Janeiro: Record, 2008. 175p. (Bib ETS)
A região que mais inspirou Graciliano ao escrever o livro "Vidas Secas" foi a de Buíque, em Pernambuco, cidade onde passou a infância. Vidas Secas foi publicado primeiro em capítulos, depois reunidos em um único volume, em 1938. “É por isso que, embora tenha seqüência temporal, é definido como um romance desmontável, que pode ser lido a partir do capítulo que se desejar”, explica o professor de Teoria Literária da UFMG, Wander Melo Miranda, que organiza a reedição das obras do autor alagoano para a Record. A editora renovou os direitos de publicação dos livros de Graciliano e comemorou com pompa o 70º aniversário de "Vidas Secas", em agosto, na Bienal do Livro de São Paulo. O primeiro conto do que seria o romance é justamente o que fala da cadelinha Baleia, um dos personagens mais emblemáticos do livro. Consta que o escritor concebeu Baleia à imagem e semelhança de uma cachorra que tinha visto ser sacrificada quando menino, em Buíque. Graciliano vislumbrou então o céu dos cães, cheio de preás. “Fala-se na humanização de Baleia e na animalização dos outros personagens, mas não vejo assim”, diz Miranda. “Eles não falam, mas têm outro código de entendimento. Todo gesto em Vidas Secas é muito medido, tem muita economia. Até de saliva, num lugar onde falta água.”Para o professor mineiro, autor de dois livros sobre Graciliano, a interioridade dos personagens garantiu longevidade à obra, que não ficou datada como outros representantes da chamada literatura regionalista, caso de O Quinze, de Rachel de Queiroz. “Graciliano demonstra compaixão pelo ser humano, o que é atualíssimo. O retirante de hoje é qualquer despossuído que o progresso foi abandonando à própria sorte.”Os romances de Graciliano Ramos sobrevivem ao tempo e às adaptações para outros meios, como o cinema. Vidas Secas, o filme que Nelson Pereira dos Santos lançou em 1963, é considerado uma obra-prima, uma das raras versões literárias para o cinema de inteira felicidade na transposição de personagens, trama e paisagem. Memórias do Cárcere (1984), outro de Nelson Pereira, e São Bernardo (1971), de Leon Hirszman, também foram muito bem tratados pela crítica.
Leia mais em: <http://www.cartanaescola.com.br/edicoes/29/o-sertao-70-anos-depois/?searchterm=vidas%20secas>. Acesso em 23/10/2008.

BIBLIOGRAFIA:
* Caetés (romance);
* São Bernardo (romance);
* Angústia (romance);
* Vidas Secas (romance) (Bib ETS);
* Infância (memórias);
* Dois Dedos (contos);
* Insônia (contos);
* Memórias do Cárcere (memórias) (Bib ETS);
* Viagem (impressões sobre a Tcheco-Eslováquia e a URSS);
* Linhas Tortas (crônicas);
* Viventes das Alagoas (crônicas);
* Alexandre e outros irmãos (Histórias de Alexandre, A Terra dos Meninos Pelados e Pequena História da República);
* Cartas (correspondência pessoal).
Leia mais em: <http://www.releituras.com/graciramos_bio.asp>. Acesso em: 27/10/08. (Dados extraídos de livros do autor, internet e caderno "Mais!", da Folha de São Paulo, edição de 09/03/2003).

FECITEP 2008 (23 A 25 DE OUTUBRO) - CANOAS

Feira de Ciência e Tecnologia das escolas gaúchas começa quinta-feira, 23, em Canoas;
Temática: "Ciência e Tecnologia a Favor do Planeta".
A 2ª Feira Estadual de Ciência e Tecnologia da Educação Profissional (Fecitep) reúne a partir desta quinta-feira, 23, 96 projetos desenvolvidos por alunos de escolas técnicas do Rio Grande do Sul. A atividade, promovida pela Superintendência de Educação Profissional (Suepro), acontece até 25 de outubro, no Colégio Ulbra Cristo Redentor, em Canoas. Do total de trabalhos, 47 foram elaborados por estudantes de instituições de ensino da rede estadual, 34 de escolas particulares, 13 da rede federal, e 2 da rede municipal. A Fecitep tem como objetivo integrar as diferentes redes de escolas de Educação Profissional do Estado a partir do incentivo a alunos e professores na promoção de projetos de pesquisa em científica e tecnológica. A Feira pretende contribuir com o desenvolvimento econômico de determinadas regiões gaúchas, por intermédio da troca de experiências e conhecimentos existentes nos estabelecimentos de ensino técnico.
Para a realização da Fecitep, a Suepro conta com a parceria da Associação dos Dirigentes das Instituições Federais do Rio Grande do Sul (ADIFERS), com as escolas da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), com a Rede Sinodal de Educação, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/RS), com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/RS) e com o Sindicato das Escolas Particulares de Ensino (Sinepe/RS).
<http://www.educacao.rs.gov.br/pse/html/educ_prof.jsp?ACAO=acao11>. Acesso em: 23/10/2008.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

CYRO MARTINS - CENTENÁRIO DO NASCIMENTO


CYRO MARTINS (1908-1995)
Biografia: Nasceu em Quarai - RS (05/08/1908), na fronteira sudoeste, filho de um pequeno comerciante da região. Com 12 anos, mudou-se para Porto Alegre a fim de fazer o antigo ginásio e o curso científico no colégio Anchieta. Ingressou na Faculdade de Medicina em 1928, formando-se em 1933. Retornou a sua cidade natal, lá exercendo a atividade médica durante três anos. Conheceu então a miséria social instituída pela crescente modernização do latifúndio na campanha rio-grandense e que, em seguida, documentaria em sua obra narrativa, pois "Sem Rumo", que abre a célebre trilogia do gaúcho a pé, é de 1937. No ano de 1938, Cyro Martins estudou neurologia no Rio de Janeiro. Ao voltar, fixou-se de vez em Porto Alegre, de onde sairia apenas no período 1951-1955, vivendo em Buenos Aires onde realizou sua formação psicanalítica. Dividido entre a psicanálise e a literatura, o ensaio e a ficção, converteu-se numa das figuras intelectuais mais respeitadas no Rio Grande do Sul.
Leia mais em: <http://educaterra.terra.com.br/literatura/romancede30/2003/03/18/002.htm>. Acesso em: 18/10/2008.

Obras Principais:

Campo Fora - 1934, Globo;
Sem Rumo - 1937, Ariel;
Enquanto as Águas Correm - 1939, Globo;
Mensagem Errante - 1942, Globo;
Porteira Fechada - 1944, Globo;
Estrada Nova - 1954, Brasiliense (Bib ETS - 2 ex.);
A Entrevista - 1968, Sulina;
Rodeio - Estampa e Perfis - 1976, Movimento;
Sombras na Correnteza - 1979, Movimento (Bib ETS);
A Dama do Saladeiro - 1980, Movimento;
O Príncipe da Vila - 1982, LPM (Bib ETS);
O Mundo em que Vivemos - 1983, Movimento;
Gaúchos no Obelisco - 1984, Movimento;
A Mulher na Sociedade Atual (ensaio) - 1984, Movimento;
Na Curva do Arco-Íris - 1985, Movimento;
O Professor - 1988, Movimento (Bib ETS);
Para Início de Conversa (memórias) - 1990, Movimento;
Um Sorriso para o Destino - 1991, Movimento;
Páginas Soltas - 1994.
Além disso, escreveu ensaios psicanalíticos e literários.O esforço documental, a transformação dos indivíduos em representações explícitas de classes sociais, o didatismo com que se apresenta a vida econômica e política de uma região e a descrição implacável da miséria a que estão condenadas as camadas populares que ali vivem constituem o receituário do neo-realismo de 1930, do qual Cyro Martins é uma das expressões mais acabadas. De certa maneira, Cyro Martins parte da mesma temática de Erico Verissimo: o Rio Grande pastoril, das imensas fazendas, da grande produção de couros e carne. Mas a diferença entre ambos está no grupo social que expressam: Erico prefere fazer a saga da classe dominante de sua origem à sua decadência; Cyro opta pelos desvalidos do pampa: pequenos arrendatários, agregados, posteiros, peões, carreteiros, gente que perdeu o pouco que possuía e que vaga sem destino pela campanha. No plano da escrita, Erico, mantém invariavelmente o padrão culto da língua, ao passo que o autor da trilogia do gaúcho a pé introduz em seus textos, em especial nos diálogos, vocábulos e expressões regionais. O léxico gauchesco, de origem platina, é usado, entretanto, de maneira circunstancial, pois a linguagem dominante de suas narrações é também a urbana culta.

A TRILOGIA DO GAÚCHO A PÉ

Nas primeiras décadas do século XX, o transporte ferroviário, as cercas de arame farpado, as pastagens artificiais e a divisão das grandes propriedades tinham reduzido a necessidade de mão-de-obra na atividade pastoril. Em um conjunto de romances pungentes – designados como trilogia do gaúcho a pé ("Sem rumo", "Porteira fechada", "Estrada nova") – Cyro Martins fixa este processo de expulsão dos trabalhadores do campo, face à inexorável modernização capitalista das estâncias. Despejados das fazendas, esses tipos rudes marcham para os cinturões de miséria que envolvem as cidades do pampa, sem possuir qualquer qualificação para o trabalho citadino. O desemprego é inevitável assim como a bebida e a depressão. Sem alternativas, voltam-se nostalgicamente para o passado, que pintam como uma época de ouro. Daí à marginalização é apenas um passo.

Trilogia do Gaúcho a Pé - Obras:

1ª "Sem Rumo" - Comentário: Flávio Aguiar*
"Sem Rumo" (1937) é o primeiro romance de Cyro Martins que pertence à chamada “trilogia do gaúcho a pé”, de que também fazem parte "Porteira Fechada" (1944) e "Estrada Nova" (1954). Quando da publicação de "Sem Rumo", o processo de urbanização do Brasil se acelerava. Mas 70% da população brasileira vivia no campo, enquanto 30% vivia nas cidades. Isso não significa apenas uma porcentagem. Significa que a ascendência daquele mundo rural sobre o mundo urbano era muito grande e penetrante, enquanto hoje a equação se inverteu. Boa parte dos habitantes do mundo urbano, inclusive dos assíduos leitores da literatura canônica nacional, tinha a família próxima, quando não a própria infância e sua formação, solidamente fincadas no mundo rural. Para aquelas gerações, a cidade era sinal de modernização e progresso. Não só da economia e das relações sociais; as cidades eram símbolo também de progresso espiritual, roubando a vida brasileira da violência a que as desigualdades do mundo rural, latifundiário e patrício, pareciam tê-la condenado. Os olhares dos escritores daquela década de 30 sobre nosso vasto mundo rústico de sertões, florestas, cerrados e pampas, era muito cético. Mas nem por isso "Sem Rumo" é um romance da desesperança, nem do desespero. Mesmo ali onde se embaça a miséria social, transparece, na visão de Cyro, a grandeza, ainda que paradoxalmente frágil, de seus personagens em busca da humanidade de seu destino, que mais parece utópica do que real. Em meio às durezas da vida, entregam-se aos amores, à memória, com volúpia e sofreguidão de viver. A paisagem do pampa, vivamente espelhada nas páginas de Cyro, emoldura com grandiosidade os dramas humanos. A comunicação entre os personagens é difícil, interrompida. A única comunicação potente no romance é a da violência, seja a dos desmandos dos ricos sobre os pobres, dos poderosos sobre os humildes, dos homens sobre as mulheres, dos adultos sobre as crianças, dos homens sobre os animais. Ou então a violência – que Chiru, o protagonista, não deixa de ver com admiração, dos revoltosos, com seus lenços vermelhos embandeirados, suas cavalhadas em correrias pelas sendas combativas mas impotentes para ir ao cerne das doenças sociais que o jovem médico Cyro quer denunciar.
*Flávio Aguiar - organizador da edição comemorativa, autor das notas.
2ª "Porteira Fechada" - Comentário: Carlos Jorge Appel*
O término da I Guerra Mundial (1914-18) traz, no seu rastro, a quebra do Banco Pelotense e a falência dos principais frigoríficos das cidades fronteiriças do Rio Grande do Sul, indícios significativos de que o sistema tradicional de produção da campanha gaúcha evidenciava sua exaustão e entrava em colapso. As unidades produtivas do campo, as pequenas e médias estâncias, sofreriam as conseqüências dessa crise agropastoril. Todo um modo de produção vigente no Rio Grande do Sul, desde o início do século XVIII, esgotara sua utilidade e funcionalidade. A ataraxia e o imobilismo na campanha gaúcha constituíam sintomas dessa realidade. Cyro Martins, nascido em Quaraí (1908), iria vivenciar e recriar essa situação num amplo e complexo painel ficcional, formado pela trilogia do gaúcho a pé: Sem rumo (1937), Porteira fechada (1944) e Estrada nova (1953). Nessa trilogia, os gaúchos, despilchados e sem cavalo, portanto sem auto-estima, tornam-se símbolos de decadência, de perda de identidade e de perspectiva; transformaram-se em “ruínas vivas”, na expressão de Alcides Maya. Mão-de-obra ociosa e desnecessária, peões, capatazes, pequenos arrendatários serão expelidos da estância para a periferia das cidades. Porteira fechada traz à tona e desvenda esse quadro de decadência moral e material do gaúcho empobrecido, personificado em João Guedes. Durante algum tempo, tenta, arrendando meia quadra de campo, sobreviver ali com sua família, cultivando e criando gado. No entanto, a concentração de terras na mão de poucos e a crise econômica expelem João Guedes, sua mulher e filhos para os ranchos que circundam uma típica cidade do interior gaúcho. A tragédia é o ponto final dessa história de João Guedes. A campanha gaúcha nunca mais seria a mesma.
*Carlos Jorge Appel - Professor de Literatura, crítico literário e editor da maioria dos livros de Cyro Martins.
3ª "Estrada Nova" - Comentário: Ligia Chiappini*
A chamada trilogia do gaúcho a pé, concluída com este romance, tem sido lida como "documento precioso de uma época”, porque descreve, sitúa e analisa o processo da marginalização do gaúcho pobre e o êxodo dos habitantes da campanha riograndense para a cidade, sob o impacto da modernização na primeira metade do século XX. Em Estrada Nova essa temática se amplia, abrangendo ricos e remediados. Mas esse romance, como os anteriores, vai além do trabalho documental, porque às artes do sociólogo amador e do psicanalista profissional junta-se o indispensável talento do escritor, que, de modo triste e divertido, nos introduz no fluxo dos pensamentos, sensações e sentimentos de seus personagens. Isso se faz, aliando conhecimento e experiência, com pleno domínio das técnicas discursivas, destacando-se as sutilezas do monólogo interior, mas também a força dos diálogos, em que os personagens se defrontam numa performance complexa e ambígua, cheia de subentendidos e pressuposições, temperadas de ironia. Cyro é perito em driblar nossas expectativas, contrariando as regras da coerência narrativa. Assim, o que poderia ser visto como falha técnica acaba sendo ponto forte do romance, como ocorre quando o fazendeiro Teodoro, que devia ser apenas um vilão, acaba roubando a cena do moço Ricardo, herói meio abandonado no meio do caminho. E o livro se fecha com Teodoro e suas vítimas sendo, simultaneamente, seus algozes: Janguta, sua mulher, sua filha. Como se realiza essa proeza e que efeitos ela produz, apenas a experiência direta da leitura pode elucidar. Trilhemos, pois, sem mais delongas, esta velha estrada ainda e sempre nova.
*Ligia Chiappini - Professora e pesquisadora de Teoria Literária (USP) e Estudos Latino-Americanos (Universidade Livre de Berlim).
OBS.: Embora a presente edição da Trilogia esteja destinada, preferencialmente, para doação a Bibliotecas Públicas e Escolares da rede pública, os exemplares restantes poderão ser encaminhados a outras instituições ou pessoas interessadas, mediante solicitação pelo mail celpcyro@celpcyro.org.br e o depósito de R$30,00 para cobertura de despesas com a remessa. Este valor deverá ser depositado na conta corrente do CELP Cyro Martins: Banco do Brasil, cc. 1359-5 Ag. 3334-0 e o comprovante enviado pelo fax: 51-3533-3252.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

SIMPÓSIO INTERNACIONAL NA UNISINOS

http://www.unisinos.br/eventos/1968/>. Acesso em: 04/09/2008.

Estive ausente de 14 a 17 de outubro para participar, junto com a professora Maria Inês, deste Simpósio que trouxe, sobre diversos enfoques, o ano de 1968 à tona, relembrando os 40 anos dos episódios de maio de 68 na França e seus desdobramentos em diversos países.

Uma das principais marcas dos protestos de estudantes e operários na França, em 1968, foram os "slogans" escritos nos muros e cartazes espalhados por Paris, das faculdades de Sorbonne, Nanterre e Belas Artes aos arredores do Teatro Odéon e dos Boulevards Saint-Michel e Saint-Germain. Irreverentes e provocadoras, de forte teor surrealista, as mensagens eram dirigidas não só ao poder, aos patrões e à polícia - mas também aos próprios estudantes e às instituições da esquerda tradicional.

Abaixo, alguns "slogans" presentes nos muros das cidades a partir dos movimentos surgidos na época:
*É proibido proibir;
*Chega de atos, queremos palavras;
*Abaixo do calçamento está a praia;
*Abaixo a sociedade de consumo;
*Abaixo o realismo socialista. Viva o surrealismo;
*A ação não deve ser uma reação, mas uma criação;
*O agressor não é aquele que se revolta, mas aquele que reprime;
*A anarquia sou eu;
*As armas da crítica passam pela crítica das armas;
*Parem o mundo, eu quero descer;
*A arte está morta. Nem Godard poderá impedir;
*A arte está morta, liberemos nossa vida cotidiana;
*Antes de escrever, aprenda a pensar;
*A barricada fecha a rua, mas abre a via;
*Ceder um pouco é capitular muito;
*Corram camaradas, o velho mundo está atrás de vocês;
*A cultura é a inversão da vida;
*Proibido não colar cartazes;
*A economia está ferida, pois que morra!;
*A emancipação do homem será total ou não será;
*O estado é cada um de nós;
*A humanidade só será feliz quando o último capitalista
for enforcado com as tripas do último esquerdista;
*A imaginação toma o poder;
*A insolência é a nova arma revolucionária;
*É proibido proibir;
*Eu tinha alguma coisa a dizer, mas não sei mais o quê;
*Eu participo. Tu participas. Ele participa. Nós participamos. Vós participais. Eles lucram;
*A liberdade do outro estende a minha ao infinito;
*A mercadoria é o ópio do povo;
*As paredes têm ouvidos. Seus ouvidos têm paredes;
*Não mudem de empregadores, mudem o emprego da vida;
*Nós somos todos judeus alemães;
*A novidade é revolucionária, a verdade, também;
*Fim da liberdade aos inimigos da liberdade;
*O patrão precisa de ti, tu não precisas do patrão;
*A poesia está na rua;
*A política se dá na rua;
*Os sindicatos são uns bordéis;
*O sonho é realidade;
*Só a verdade é revolucionária;
*Sejam realistas, exijam o impossível;
*Tudo é Dadá;
*Trabalhador: você tem 25 anos, mas seu sindicato é de outro século;
*Abolição da sociedade de classes;
*Abram as janelas do seu coração;
*A arte está morta, não consumamos o seu cadáver;
*Não nos prendamos ao espetáculo da contestação, mas passemos à contestação do espetáculo;
*Autogestão da vida cotidiana;
*A felicidade é uma ideia nova;
*Teremos um bom mestre desde que cada um seja o seu;"
*Consuma mais, viva menos;
*O discurso é contra-revolucionário;
*Escrevam por toda a parte!;
*Abraça o teu amor sem largar a tua arma;
*Enraiveçam-se!;
*Ser rico é se contentar com a pobreza?;
*Um homem não é estúpido ou inteligente: ele é livre ou não é;
*Adoro escrever nas paredes;
*Decretado o estado de felicidade permanente;
*Milionários de todos os países, unam-se, o vento está mudando;
*Não tomem o elevador, tomem o poder;
http://g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias/0,,MUL463636-15530,00.html>. Acesso em: 21/10/2008.

ESTE EVENTO ESTEVE DIVULGADO AQUI NO BLOG DESDE A POSTAGEM DE 04/09/2008: "AGENDA DE OUTUBRO".
Claro que não poderíamos deixar de visitar, muito rapidamente, a Biblioteca da Unisinos:
SUGIRO QUE DÊEM UMA PASSADINHA NO POST DE 04/09 (AGENDA DE OUTUBRO), POIS AINDA HÁ EVENTOS DE INTERESSE AGORA, NOS ÚLTIMOS DEZ DIAS DESTE MÊS, COMO A FECITEP (23 A 25), PALESTRA "PORTEIRA FECHADA" (25) E VI SIMPÓSIO DE PATOLOGIA CLÍNICA (28).

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA

A imigração japonesa no Brasil tem como marco inicial a chegada do navio Kasato Maru, em Santos, no dia 18 de junho de 1908. Nele vieram 781 imigrantes mais 12 passageiros independentes. Leia mais em: <http://www.centenario2008.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=17&Itemid=30>. Acesso em: 20/10/2008.
Para comemorar o Centenário da Imigração Japonesa em nosso país, muitas comemorações foram preparadas ao longo de 2008, entre elas, a colocação de uma enorme escultura em área próxima ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, elaborada pela renomada artista plástica Tomie Ohtake.

Tomie Ohtake. Nascida em Kioto, no Japão, em 1913, a artista plástica chega ao Brasil em 1936 e se naturaliza nos anos 60. Começa a pintar só aos 40 anos de idade, e conquista fama internacional. Participa de cinco edições da Bienal Internacional de São Paulo. Três de suas obras estão espalhadas por São Paulo: no metrô Consolação, na Avenida 23 de Maio e na Ladeira da Memória. Fonte: http://www.institutotomieohtake.org.br/

Veja mais descendentes de japoneses que se tornaram famosos em suas respectivas áreas de atuação, em nosso país: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2008/imigracaojaponesa/nikkeis.shtml>. Acesso em: 20/10/2008.

VAMOS VER OUTRAS INFLUÊNCIAS JAPONESAS NA CULTURA DE NOSSO PAÍS:

* Mangá: Recentemente, Maurício de Souza utilizou os traços típicos dos desenhos HQ japoneses em seus famosos personagens (olha a Mônica jovem):* Origami: É a arte das dobraduras de papel, que formam as mais diferentes figuras:

VEJA MAIS EM: <http://origami.em.blog.br/archives/origami-e-figuras-humanas/>. Acesso em: 20/10/2008.

De que outros costumes japoneses presentes em nossa cultura tu te lembras? Clica em "comentários" e deixa tua opinião!

HQ NA "54 FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE"

Revista Mutação
Especialmente para a 54ªFeira do Livro foi criada a revista Mutação, que traz trabalhos de expoentes da nova geração de quadrinistas gaúchos e artigos relacionados com a produção e a leitura de HQ. A revista está sendo produzida pela Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com a editora Escala Educacional. Os gaúchos Daniel HDR, Eduardo Muller, Marcelo Tomazi e o paulista Francisco Vilachã (leia perfil dele na Folha do Livro 14), coordenador da coleção Literatura Brasileira em Quadrinhos, da editora Escala Educacional, são alguns dos quadrinistas que terão trabalhos publicados. O conteúdo é integrado por um fanzine e três contos, dentre os quais a adaptação de Vilachã do conto Idéias do Canário, de Machado de Assis.
Além disso, haverá conteúdo voltado para os fãs de HQs, como artigos, tirinhas, dicas de leitura e de onde encontrar bons quadrinhos em Porto Alegre e na Internet. Escolas da rede pública receberão exemplares da revista gratuitamente, reforçando a proposta do uso de HQ para formação de novos leitores. A publicação será distribuída, também, aos participantes do ciclo Mutação na Feira.
As atividades do III Mutação na Feira - HQs, zines e outras histórias são voltadas para o público jovem e adulto. A oficina tem 20 vagas e os bate-papos, 200 vagas. Para participar, acesse o formulário de inscrição. Confira a programação: <http://www.camaradolivro.com.br/>. Acesso em: 20/10/2008. (texto e imagem).

BIBLIOTECAS BRASILEIRA, COLOMBIANA E CHILENA














Veja mais: <http://www.bperj.rj.gov.br/>. Acesso em: 20/10/2008.
FOTOS: Setores da Biblioteca Pública do Estado do Rio (BPERJ) de cima para baixo:
1. Guanabarina;
2. Empréstimo;
3. Leitura Geral;
4. Periódicos.
(Existem outros setores, em uma área de 10.000m², no Centro do Rio de Janeiro).
Seg, 20 Out, 11h00
Acostumada a visitar as tradicionais bibliotecas européias e norte-americanas, Ana Lígia Medeiros, diretora da Biblioteca Pública do Estado do Rio (BPERJ), empolgou-se ao ver de perto as bem-sucedidas experiências de nossos vizinhos Colômbia e Chile. Em março, numa viagem de trabalho a Bogotá, Medellín e Santiago, ela se deparou com espaços monumentais e, paradoxalmente, acolhedores, que atraem milhares de pessoas, e de todas as idades. "Num sábado à tarde, vi uma biblioteca colombiana coalhada de pais e crianças. Isso é lindo", diz Ana Lígia, que sonha ver a cena replicada no Rio.
"A Biblioteca Luis Ángel Arango, em Bogotá, recebe 9 mil visitantes por dia. Pessoas que vão atrás não só de livro, mas de entretenimento. É possível na Colômbia e Chile e aqui também vai ser. Biblioteca é para todo mundo. No Brasil, virou quase uma coisa escolar. Mas o conceito ultrapassa isso", diz Ana Lígia. Na Colômbia, as bibliotecas são braços dos programas de combate à violência. Bem decoradas, coloridas e convidativas, oferecem exposições, shows de música, brinquedoteca e debates todos os dias.
A bibliotecária desenvolveu um projeto de modernização da BPERJ, criada em 1873 por d. Pedro II, que está saindo do papel depois de três anos. A entidade, vinculada à Secretaria Estadual de Cultura, receberá R$ 15 milhões. Metade virá do Ministério da Cultura e a outra, da secretaria.
O dinheiro, que deve ser liberado nos próximos três anos, será usado para recuperar o prédio que tem infiltrações, aquisição de acervo atualizado, e para deficientes visuais, instalação de equipamentos de segurança, compra de CDs, DVDs, jornais e revistas, e ainda adaptação arquitetônica para tornar mais atraente o seu interior. A primeira parcela deve chegar ainda este ano e a medida mais urgente é a recuperação do telhado.
Além do Rio, São Paulo e Pará também devem receber investimentos do MinC ainda este ano, assim como a Biblioteca Pública de Niterói. A idéia é que cada Estado tenha um equipamento estadual que sirva de referência para o sistema municipal de bibliotecas. "A gente quer mudar a idéia de biblioteca que se tem no Brasil. Tem de ser um centro cultural, atraente, moderno, em que o livro conviva com outros suportes", explica Jéferson Assumção, coordenador-geral de Livro e Leitura do MinC. Além dos repasses às grandes, o MinC está liberando também R$ 55 mil para melhorias em bibliotecas de 410 cidades pequenas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

BIBLIOTECA DE SONHO...

VEJAM SÓ ESTAS IMAGENS DA BIBLIOTECA DE ALEXANDRIA, NO EGITO:
<http://www.flickr.com/photos/zamin17/2164694481/>. Acesso em: 21/10/2008.

A moderna Biblioteca de Alexandria é uma espécie de recriação da antiga. Seu edifício assemelha-se a um gigantesco disco semi-enterrado, formando um ângulo que representa um segundo sol nascendo ao lado do Mar Mediterrâneo. Pictogramas, hieróglifos e cartas de todos os alfabetos estão entalhados em seu exterior (na parede atrás de Eez).

<http://www.sxc.hu/browse.phtml?f=search&w=1&txt=library&p=6>. Acesso em: 22/10/2008.

Há fotos lindas desta incrível Biblioteca... Procure mais e divirta-se!

UTILIDADE PÚBLICA - INSCRIÇÕES NA ETS E DEMAIS ESCOLAS ESTADUAIS

Iniciam hoje as inscrições para todas as escolas da rede estadual de ensino. Para inscrever-se na ETS (Escola Técnica Estadual em Saúde, no HCPA), os horários, local, site, etc. encontram-se a seguir:
DATA: 15 a 31 de outubro de 2008;
HORÁRIO: 9h às 12h/ 14h às 17h/ 19h às 21h;
LOCAL: Rua São Manoel, 525 - Porto Alegre - RS;
INFORMAÇÕES: Site da Escola Estadual Técnica em Saúde: <http://www.ets-hcpa.com.br/>; e-mail: <ets1cre@seduc.rs.gov.br>; tel: (51)3321-3599 e (51)3328-9671;
CURSOS TÉCNICOS (PÓS MÉDIO) OFERECIDOS PELA ETS:

*Administração Hospitalar;

*Nutrição e Dietética;

*Patologia Clínica;

*Radiologia e Radiodiagnóstico.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

DIA DO PROFESSOR - PARABÉNS!

"FELIZ AQUELE QUE TRANSFERE O QUE SABE E APRENDE O QUE ENSINA!"
(CORA CORALINA, poetisa, 1899-1985)
PARABÉNS A TODOS OS PROFESSORES DA ETS! NOSSA HOMENAGEM ESTENDE-SE A TODOS OS MESTRES GAÚCHOS, BRASILEIROS E DO MUNDO!
DIA 15/10: DIA DO PROFESSOR.

domingo, 12 de outubro de 2008

UFRGS - MAIS PALESTRAS SOBRE LITERATURA - LEITURAS OBRIGATÓRIAS 2009

Seminário "Literatura para Além da Obrigação"
Data: de 18/10/2008 a 29/11/2008, sempre aos sábados (ver cronograma abaixo);
Horário: das 8h 30min às 12h.
Este Seminário tem como proposta a abordagem das leituras obrigatórias superando o enfoque meramente utilitário das obras. A idéia dos professores convidados, da UFRGS e PUCRS, é oferecer ao público o entendimento da obra e a percepção de que os textos são alguns dos mais importantes da literatura de língua portuguesa.
PROMOÇÃO: SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA;
LOCAL: TEATRO RENASCENÇA - AV. ERICO VERISSIMO, 307;
INSCRIÇÃO: LIVRARIA ILHOTA (no mesmo endereço);
VALOR: R$ 10,00;
INFORMAÇÕES: (51)3289-8072.

ABAIXO ESTÃO LISTADAS AS 12 OBRAS (leituras obrigatórias UFRGS 2009) QUE SERÃO TEMA DAS SEIS PALESTRAS DO 5º SEMINÁRIO "LITERATURA PARA ALÉM DA OBRIGAÇÃO":
Observação: notícia adaptada de: Zero Hora, 08/10/08, caderno Vestibular, p.8;
As obras marcadas com bib ETS encontram-se disponíveis para empréstimo na Biblioteca da ETS.
Programação:
18/10/2008 - sábado
CAMÕES, Luís de. Os Lusíadas: Cantos I ao V. (Francisco José Sampaio Melo/PUCRS); Bib ETS;
ALVES, Castro. Espumas Flutuantes. (Kelvin Klein/UFRGS); Bib ETS.

25/10/2008 - sábado
ASSIS, Machado de. Quincas Borba. (Pedro Mandagará Ribeiro/PUCRS); Bib ETS;
ASSIS, Machado de. Contos: O Caso da Vara, Pai Contra Mãe, Capítulo dos Chapéus. (Márcia Roque/UFRGS).

1º/11/2008 - sábado
ALENCAR, José de. Iracema. (Daniela Silva/PUCRS); Bib ETS;
QUEIRÓS, Eça de. O Primo Basílio. (André Rollo/UFRGS). Bib ETS.

8/11/2008 - sábado
MARTINS, Cyro. Porteira Fechada. (Gabriela Farias da Silva/PUCRS); Bib ETS;
BANDEIRA, Manuel. Estrela da Vida Inteira. (Edson Roid Maciel/UFRGS). Bib ETS.

22/11/2008 - sábado
REGO, José Lins do. Fogo Morto. (Maurício Woiciekowski/UFRGS); Bib ETS;
TELLES, Lygia. Antes do Baile Verde. (Suzete antin/PUCRS).

29/11/20008 - sábado
HATOUM, Milton. Dois Irmãos. (Ana Munari/PUCRS); Bib ETS;
ASSIS BRASIL, Luiz Antônio de. Concerto Campestre. (Marcelo Spalding/UFRGS). Bib ETS.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

O SUS QUE DÁ CERTO - MOSTRA INTERATIVA

<http://portal.saude.gov.br/saude/area.cfm?id_area=1342>
DATA: 10 e 11, 13 a 17 de outubro;
HORÁRIO: 10h às 22h;
LOCAL: Escola de Saúde Pública do RS - Av Ipiranga, 6311 - Porto Alegre;
PROMOÇÃO: Secretaria de Atenção à Saúde Pública/ Política Nacional de Humanização;
INFORMAÇÕES: (51)3901-1463/1464 (à tarde);
AGENDE A VISITA DE SUA INSTITUÇÃO!
SONS/FOTOS/FILMES/JOGOS ELETRÔNICOS/RODAS DE CONVERSA...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

SIMULADO KZUKA

Não tem mais desculpas ("choveu", "me atrasei", "meu gatinho morreu")... Kzuka está com um Simulado online para os vestibulandos testarem seus conhecimentos! Quando e onde quiserem...
Atenção, pessoal que retira as "Leituras Obrigatórias" na Biblioteca da ETS:
<http://www.simuladokzuka.com.br/> Acessem e...BOA SORTE!

MACHADO DE ASSIS - CENTENÁRIO DA MORTE

Rara foto sem barba:
<http://www.academia.org.br/>. Acesso em:7/10/08.
Para homenagear o grande escritor brasileiro Machado de Assis, o MEC disponibilizou toda a sua obra na Internet. É só acessar:
<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=11300&Itemid=1338&sistemas=1>

BOA LEITURA!

LIVROS DE JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS (1839-1908) DISPONÍVEIS NA BIBLIOTECA DA ETS:
ASSIS, Machado de. O Alienista. Porto Alegre: L&PM, 1998;
______. ______. 4. ed. São Paulo: Ática, 1976;
______. O Alienista: conto. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998;
______. Contos. São Paulo: Ática, 1985; *
______. A Desejada das Gentes e Outros Contos. São Paulo: Moderna, 2002; **
______. Dom Casmurro. São Paulo: Escala, [2000];*
______. Esaú e Jacó. São Paulo: Ática, 1975;
______. Helena. São Paulo: Moderna, 2003;
______. Iaiá Garcia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; Brasília: INL, 1975.
______. Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: FTD, 1991; ***
______. ______. Encadernado com: BARBOSA, Rui. Oração aos Moços; Palavras à Juventude. São Paulo, Dicopel [1975];
______. Várias Histórias. Estância de Atibaia (SP): CEDIC [2003].
Observações:
*2 exemplares;
**adquirido com a verba das multas na 51ª Feira do Livro de Porto Alegre;
***5 exemplares.

domingo, 5 de outubro de 2008

LYA LUFT - EXPOSIÇÃO COMEMORA SEUS 70 ANOS

Susana Luf inaugura exposição individual de pinturas "Lya menina – Waldrausch (rumor da floresta)” no dia 17 de setembro às 20h na Galeria Gravura em homenagem aos 70 anos de sua mãe, a escritora Lya Luft. Inspirada em “Mar de dentro”, memórias de infância de Lya (2002, editora Record), a pintora exibe 23 obras (22 inéditas) em técnica mista sobre tela. Aluna de Plínio Bernhardt e Vera Wildner, a pintora e médica pediatra Susana Luft ilustrou Histórias da Bruxa Boa e A Volta da Bruxa Boa em co-autoria com Lya.
Visitação: até 18 de outubro de 2008;
Local: Gravura Galeria de Arte - Rua Corte Real, 647;
Porto Alegre - RS - <http://www.gravuragaleria.com.br/>;
Horário: de segundas às sextas feiras das 9h30min às 18h30min sem fechar ao meio-dia, sábados das 9h30min às 13h30min.
A artista Susana Luft e o acadêmico Moacyr Scliar, na homenagem a Lya Luft.
Obra de Lya Luft disponível na Biblioteca da ETS:
LUFT, Lya. O Quarto Fechado: romance. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986. (3 exemplares).

PENSAMENTO


"CULTURA É UM BEM PESSOAL. NOS CHEGA PELO CAMINHO DO CULTIVO PRÓPRIO." (Jean Marc Lofficier)

PRÊMIO JABUTI 2008


O escritor catarinense Cristóvão Tezza vence o Prêmio Jabuti (categoria romance), mais importante prêmio literário de nosso país, com o romance O Filho Eterno.

A Câmara Brasileira do Livro divulgou no dia 23/09/08 os vencedores das 20 categorias do 50º. Prêmio Jabuti. A lista completa de premiados (nas outras categorias) pode ser lida no blog <http://cinesemana.com.br/>

Outras obras premiadas de Cristóvão Tezza:

* Breve Espaço entre Cor e Sombra (Prêmio Machado de Assis - Biblioteca Nacional - melhor romance - 1998;

* O Fotógrafo - Prêmio da Academia Brasileira de Letras - melhor romance - 2005;

* Aventuras Provisórias - Prêmio Petrobrás de Literatura.

Câmara Brasileira do Livro: <http://www.cbl.org.br/index.php>

FÓRUM DE BIBLIOTECAS ESCOLARES

foto: <http://br.geocities.com/becresod/fotoarquivo/fotobiblio.htm>. Acesso em: 07/10/08.
DATA: 24 de outubro de 2008
LOCAL: Marília (SP);
ORGANIZAÇÃO: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC), Departamento de Ciência da Informação (DCI), Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação Campus de Marília;
APOIO: Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª Região (CRB-8), International Association of School Librarianship (IASL);
COMISSÃO ORGANIZADORA: Profa. Dra. Marta Lígia Pomim Valentim, Profa. Dra. Helen de Castro Silva Casarin;
LOCAL DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: Anfiteatro I - UNESP/Marília (Marília – SP).
RESUMO: O evento trará propostas concretas indispensáveis à efetiva inserção da biblioteca escolar no cenário educacional brasileiro. Nesse sentido, o evento pretende articular preocupações com ênfase no caráter e especificidade da biblioteca escolar na contemporaneidade, bem como questões mais amplas, ligadas às políticas públicas para a área, tanto no âmbito nacional quanto do Exterior.

FÓRUM INTERNACIONAL SOBRE BIBLIOTECAS ESCOLARES E IV SEMINÁRIO BIBLIOTECAS ESCOLARES

O Fórum Internacional sobre Bibliotecas Escolares e o IV Seminário Bibliotecas Escolares serão realizados nos dias 21 e 22 de outubro de 2008, na Faculdade Sumaré, na cidade de São Paulo. Os eventos são iniciativas do Conselho Regional de Biblioteconomia-8ª Região (CRB-8) e da International Association of School Librarianship (IASL). Profissionais, especialistas, professores e gestores públicos (nacionais e estrangeiros), estarão reunidos para refletir sobre a atual situação das bibliotecas escolares no Brasil e contribuir com propostas concretas e indispensáveis à sua efetiva inserção no cenário educacional brasileiro. Assim, o programa pretende articular propostas com ênfase no caráter e especificidade da biblioteca escolar na contemporaneidade e questões mais amplas, ligadas às políticas públicas para a área, tanto no âmbito nacional como internacional.

sábado, 4 de outubro de 2008

PUBLICITÁRIO DE RIO GRANDE (RS) VENCE CONCURSO MUNDIAL DE VÍDEOS

O best seller "A Bruxa de Portobello" do escritor brasileiro Paulo Coelho serviu de inspiração para um longa com vários episódios, a ser lançado no ano que vem. O projeto, The Experimental Witch (A Bruxa Experimental) foi lançado em janeiro/2008 pelo próprio Acadêmico através do MySpace<http://www.myspace.com.br/>, que pediu aos participantes a criação de curtas inspirados no livro, contando a história a partir do ponto de vista de um dos 15 personagens do romance.
O único participante brasileiro do Projeto é um publicitário de Rio Grande, Fernando Duprat, que, aliás, nunca tinha lido nada do autor e concorreu com outras 6 mil produções de até U$50 mil. A premiação inclui, além dos U$8 mil, a oportunidade de fazer parte de um filme com distribuição mundial. Parabéns ao videomaker! (Notícia resumida de ZH 29/09/08).
OBRAS DE PAULO COELHO DISPONÍVEIS NA BIBLIOTECA DA ETS
COELHO, Paulo. O Alquimista. Rio de Janeiro, Rocco, 1995;


______. Brida. Rio de janeiro, Rocco, 1990;



______. O Demônio e a Srtª. Prym. Barueri, Gold, [2000];

______. O Diário de um Mago. Barueri, Gold, [2000];



______. Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei. Barueri, Gold, [2000];
______. As Valkírias. Barueri, Gold, [1988];


______. Veronika Decide Morrer. Rio de Janeiro, Objetiva, 1998;
______. O Zahir. Barueri, Gold, [2004].
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LER COM A LÍNGUA